Sempre perto



Eu quero te pedir perdão, sei que tenho andado um pouco relapsa com a nossa história. Sei que você não tem obrigação de me aceitar do jeito que sou, de me perdoar por tantos erros, de suportar minhas mudanças de humor, de tolerar meus medos infinitos, de engolir meu lado sombrio, de preencher meu vazio existencial e de me carregar no colo quando minhas forças não são fortes o suficiente. Me desculpa, sei que nem sempre sou divertida, inteligente, sexy, amorosa e gentil como deveria. Me desculpa, sei que andei um pouco ausente, sem vontade de te contar tudo aquilo que me aflige. Sinto um pouco de vergonha por ter saído à francesa da sua vida. Mas eu voltei. E isso deve ser bom para nós. Por favor, diga que me aceita de volta, de braços, coração e sorriso abertos. Preciso de você, do seu ouvido, do seu carinho sincero, da sua paciência. Preciso que você entenda que nem sempre consigo entender esse mundo cheio de angústias. Mas quero que saiba que a partir de agora vou me esforçar para melhorar um pouco isso que a gente chama de amor. Se você ainda me quiser estarei aqui.

Minha quase melhor amiga




Quando a coisa aperta fico repetindo, mentalmente ou em voz alta, que está tudo bem, está tudo bem, está tudo bem. Ainda não sei ao certo se isso funciona, mas proporciona alguma segurança. Nós sabemos que a mente é poderosa, bem como nossos pensamentos. Por falar neles, inúmeras vezes os danados nos pregam peças. Surgem na calada da noite e perturbam o sono, aparecem sem convite e vão entrando, invadindo a alma, o coração e desestruturando nossos sentimentos. Na vida, todo mundo quer ter o controle remoto para mudar o canal quando a programação está ruim, chata ou tensa. O problema é que não temos o controle de nada, nada mesmo. É inútil tentar dominar o amanhã, já que o coitado ainda nem chegou. Não existe hora marcada, as coisas mudam a cada segundo. 

O meu maior sofrimento é não aceitar as coisas como elas são. Tudo é interrogação, mas eu insisto em querer uma garantia. Sei que apenas uma pequena parte depende de mim. Peraí, será que é mesmo tão pequena assim? Se nós colhemos o que plantamos, uma parte imensa depende de mim (concorda?). São os atos de hoje que vão proporcionar um resultado positivo ou negativo amanhã ou depois. Por isso, procuro fazer o que posso. Mas tenho consciência que o que posso nem sempre é o melhor. E aí entro novamente num duelo sem fim comigo mesma: como assim não faço o melhor? Como assim não dou o que há de mais especial e incrível em mim? Quer saber? Não sei se me acho tão incrivelmente especial assim. Não aceito meus defeitos, duvido de algumas qualidades, volta e meia tropeço na minha autoestima que fica por aí, jogada em algum canto. Ela sofre, coitada. Sofre de abandono, é uma carente de afeto e colo. Acho que sou meio malvada com ela. 

A verdade é que a autoestima não é minha best friend forever. Muitas vezes esqueço de convidá-la para eventos especiais, nem sempre a recebo com toda a atenção e delicadeza que ela merece. Erro feio com a coitada, que merecia tapete vermelho, espumante da melhor qualidade e uma massagem relaxante nos pés. Prometo tentar melhorar nesse ponto. E em vários outros, afinal, perfeição é uma palavra linda, mas só existe no dicionário.


Dafiti e Cupons Mágicos



Quero dividir uma coisa legal com vocês: A Dafiti está incentivando as compras pela internet e oferecendo, em parceria com o Cupons Mágicos, um super cupom de desconto, onde você ganha R$80,00 nas compras acima de R$250,00. Gente, é um descontão e vale muito a pena (na foto acima está a seleção de produtos que eu acabei de escolher).

Clica AQUI para ver os cupons e pegar o seu código para comprar ainda hoje. É uma bela oportunidade de renovar algumas peças no guarda-roupa, né?

Te espero, me espero



Espero que você me perdoe. Nem sempre sei como agir. Às vezes machuco com o que deixo de dizer ou com aquela palavra que sai apressada pela boca. Espero que você me aceite. Não consigo ser melhor em tudo, mas faço o que está ao meu alcance. Espero que você me compreenda. Às vezes tenho preguiça ou falta de vontade. Me desculpe por ser assim. Espero que você me acolha. Não gosto de admitir, mas sou sensível ao extremo e cheia de fraquezas e fragilidades. Espero que você me admire. Gosto quando seu olhar brilha com minhas conquistas, ainda que sejam pequenas demais perto dessa imensidão que é o mundo. Espero que você me dê apoio. Sei que a vida é muito melhor quando nos dividimos e seguramos bem forte um a mão do outro. Espero que você realmente me veja como sou. E mesmo assim me ame. Espero que você seja livre. Você não me pertence, eu não te pertenço. Estamos juntos para trocar, amar, cuidar, crescer e aprender. Você é do mundo. E se algum dia tiver que partir não vou te prender. Mas vou seguir te amando. 

Espero que eu me encontre. Sei que muitas vezes a vida faz com que a gente se perca, se deixe, esqueça do que é importante. Espero que eu mantenha a calma. O dia a dia e as adversidades fazem com que nem sempre eu lembre de respirar e relaxar os ombros. Espero que eu me perdoe. Quem já não fez burrada neste vida? Quem não tem arrependimentos? Espero que eu cresça. Ser criança é bom e seguro, mas seguir em frente é preciso e um grande aprendizado. Espero que eu não perca a minha fé. Muitas vezes a gente duvida, se desespera, desacredita. Espero que eu tenha sempre força. Sei que nada é mais pesado e doloroso do que podemos carregar. Espero que eu me ame. Pode soar papo-pra-boi-dormir, mas antes de poder demonstrar amor por outra pessoa é preciso sentir amor por tudo que você é.

 
Sobre os créditos nas imagens:
Todas as imagens que ilustram o blog são retiradas da internet. De 2010 até agora, são extraídas do site weheartit.com
Já as imagens dos anos anteriores foram retiradas do Google e estão sem os créditos dos fotógrafos porque não encontrei. Se a sua imagem está sem crédito, me desculpe: diga seu nome que eu coloco.

©2005 Clarissa Corrêa | + Magda Nascher